Projetos

A PERCUSSÃO
Muito pouco é falado sobre este assunto, às vezes pela falta de conhecimento do quão importante é esta ferramenta para o músico percussionista ou simplesmente pela falta de recurso para se ter baquetas com a qualidade necessária para uma boa execução musical.
Para iniciar a conversa, a é importante entender o que é percussão, como se divide e suas estruturas. A família da percussão tem como membros diversos instrumentos, de diversos tamanhos, diversos formatos, diversas funções rítmicas e culturais, e podem ainda ser simples ou de complexa construção.
Os instrumentos de percussão são aqueles que necessitam ser agitados, friccionados, percutidos (leigamente chamam de bater, o que dá a idéia de uso indevido da força física ou manuseio inadequado do instrumento) ou raspados para que produzam o os sons.
Além disto, podem ser divididos em dois grandes grupos: os de som de altura definida – ou seja, geram sons de altura determinada (as notas musicais específicas e podem ser afinados) – e os de som de altura indefinida (que não são capazes de produzir notas musicais específicas, percebidos pelo ouvido humano como sons ou efeitos). A estrutura interna de cada um destes grupos é formado pelas subdivisões dos instrumentos de percussão, a partir de sua fonte sonora e modo de execução, sendo parte dela:
- Idiofones, que produzem sons por sua própria vibração ao percutidos, onde podemos classificar as claves, pratos, triângulos como pertencentes ao grupo dos instrumentos de altura indefinida, enquanto os teclados barrafônicos pertencem ao grupo de altura definida.
- Membranofones, que produzem sons pela vibração de uma membrana (pele), onde podemos pensar no tamborim, na caixa clara, no bombo... Todos do grupo de altura indefinida, enquanto os tímpanos pertencem ao outro grupo.
- Cordofones, que produzem sons a partir de uma corda tensionada percutida, como o berimbau da capoeira que é o mais conhecido e pertencente ao grupo de altura indetermida e o piano, cujo é classificado como cordas percutidas, devido a necessidade do mecanismo do martelo percutir as cordas internas para projetar o som.
Uma observação interessante é que também há os aerofones, que são os instrumentos que dependem do ar para sua projeção. Há os apitos de pássaros, berrantes e outros, onde por não terem sons de altura definida, não são classificados nas famílias dos instrumentos de metais ou madeira.

BAQUETAS
Para tocar, o percussionista deve estar consciente de que a baqueta (ou qualquer que seja o objeto que utilize para tocar) está diretamente relacionada com o ponto onde o instrumento é percutido (chamado de "ponto-de-toque/região de toque") e representa uma condição modificadora da cor tímbrica.
As baquetas têm a mesma função para o músico percussionista que um arco tem para os instrumentos do naipe de corda, ou o bocal para os instrumentos de sopro.
A baqueta tem características com formas ou modelos propriamente moldadas para cada instrumento e para cada situação musical que se faça presente.
Na confecção da baqueta, qualquer que seja a sua forma, a massa física de contato com o instrumento para produzir o som (inicialmente) deve obedecer a três tamanhos, sendo eles: pequeno, médio e grande.
- o tamanho pequeno, tem como objetivo deixar mais nítido os parciais (parciais é o mesmo que o som harmônico) agudos, inibindo os graves.
- o tamanho médio, tem como objetivo ser intermediário, funcionando entre os extremos (agudo/grave).
- o tamanho grande, tem como objetivo o oposto do tamanho pequeno: dar nitidez aos parciais graves e inibir os agudos.
Além disto, o material que compõe cada baqueta tem como função melhorar o desempenho estético e musical, sendo assim, o motivo de se ter tanta diversidade de baquetas.

Feltro
Baquetas com a cabeça feita de feltro são específicas para tambores em geral e tímpanos, onde tem por dureza a subclassificação de macia, média ou dura. Devem ser usadas mediante ao fraseado que pretende executar, evitando tocar com baquetas macias demais em frases que precisas sem bem explicadas ou então, baquetas muito duras quando há a necessidade de um som mais "cheio".

Madeira
As baquetas feitas de madeira são usadas em sua maioria nos tambores, blocos sonoros, pratos suspensos e outros. Usar baqueta de madeira em instrumentos de metais tem que ser algo específico: a solicitação do compositor ou pedido do maestro, e deve ser feito com muita atenção, para evitar a danificação da baqueta.

Metal
São basicamente exclusivas para os triângulos, sendo usadas em muitos casos em pratos suspensos e o tam-tam, mas sempre por indicação do compositor da obra. Igual as baquetas de feltro, há aqui também subclassificações, como leve (quando são modelos finos), média (um modelo mais grosso) e a pesada (o modelo mais espesso e grosso). Diferente das demais de feltro e madeira, estas não apresentam um cabeça redonda ou oval.

As baquetas naturalmente usadas nos teclados barrafônicos são: ponta de metal para o glockenspiel (ou bells, nome americano do instrumento), ponta de madeira ou nylon para xilofone (este último também muito comum na utilização do bells) e lã para marimbas e vibrafones. As baquetas de vibrafone diferem das de marimba no fato de ter um núcleo (parte interna da cabeça) mais rígido, devido o vibrafone ser de metal, enquanto a marimba ser feita de madeira. Baquetas de borracha para os barrafones são sugeridas que seja de borracha dura, visto que uma borracha macia não fará as teclas vibrarem com a devida adequação, podendo comprometer a emissão sonora.
A baqueta natural para o prato suspenso é a mesma utilizada para o vibrafone e pelo mesmo motivo: o prato é feito de metal, uma baqueta de feltro (como usada nos tímpanos, por exemplo) será danificada ao longo da utilização, já a lã da baqueta do vibrafone e o seu núcleo mais rígido farão ter um tempo de vida útil maior.
Mas, o mais importante não está somente no tipo da baqueta: está em como a usa. Toda baqueta será boa se souber ser usada, então, saiba como aproveitar seu material e ter um som bonito a partir de sua técnica e da região de maior qualidade sonora.





Rua Leoni Ramos, 14, Centro - Rio das Flores/RJ
presidenciaffaberj@gmail.com
Copyright 1994-2019 | Federeção da Fanfarras e Bandas do Estado do Rio de Janeiro - FFABERJ